quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Salvador

Lembrando que é só clicar sobre as imagens para vê-las em tamanho maior.


Ananda, de frente ao Elevador Lacerda.

Queria começar dizendo pra vocês que Salvador foi uma surpresa deliciosíssima na nossa lista de destinos. Confessamos de coração leve que tínhamos um grande preconceito sobre viagens internas aqui no Brasil, mas uma força maior nos fez embarcar para o Nordeste brasileiro e, ainda bem!

Aeroporto
Bom, vou começar falando da chegada em Salvador. Nós ficamos hospedadas em um hostel bem no centro da cidade, no famoso Pelourinho. O problema: o trajeto do aeroporto até lá é longo e ir de taxi sai bem carinho, pra quem quer economizar (vida de mochileiros haha). Minha dica é: lá no aeroporto eles oferecem o serviço de um ônibus executivo que passa por quase toda a cidade. Você compra lá e já avisa onde vai descer. Ele não pega passageiros no meio do caminho, tem ar condicionado e wifi. Há um mês atrás paguei R$33 na viagem e achei ótimo. Em aproximadamente uma hora e vinte ele me deixou na Praça da Sé, bem em frente ao elevador Lacerda e a uma caminhada de 5 minutos do hostel que eu estava hospedada. Na volta, já mais acostumada a andar por lá optei por pegar um ônibus de linha (essa é uma coisa bacana e que gostamos muito de fazer quando viajamos. Usar o transporte público da cidade que estamos visitando nos dá a oportunidade de conhecer melhor o lugar e a vida das pessoas dali). A viagem é bem mais demorada (2 horas ou mais), mas bem sossegada, pelo menos para fazer durante o dia.

Hospedagem
Bom, como eu disse antes, nós ficamos em um hostel na região central e gostamos bastante. Foi um investimento baixíssimo para a época em que viajamos (Agosto 2016, olimpíadas) e para a nossa finalidade estava ótimo, já que buscávamos apenas um local para dormir e tomar banho. A única coisa chata de se hospedar no centro é que não tem a facilidade de acordar e ir andando até a praia, como se pode fazer em outras regiões. Mas ali tem bastante opção de ônibus, táxis, guias turísticos que podem te ajudar a chegar facinho na praia. Mas se você preferir, o que não falta em Salvador são hotéis no estilo resort, com vista pro mar, piscina e várias outras atividades para você relaxar e curtir as férias.
A vantagem de ficar no centro? Facilmente você consegue chegar em vários pontos turísticos da cidade, como o próprio Pelourinho (onde comumente acontecem apresentações do Olodum, super famosos), o Mercado Modelo e o Elevador Lacerda, que valem super a pena conhecer.

Passeios
Infelizmente, como nosso propósito da viagem não era tanto turistar (fomos pra lá acompanhar alguns jogos de futebol das Olimpíadas), não fizemos taaaantos passeios, mas uma dica ótima são os City Tours que saem dos principais pontos da cidade e fazem todo o roteiro clássico, levando você pra conhecer os faróis da Barra e de Itapuã, a igreja de Nosso Senhor do Bonfim, entre outros. Você também pode ir para passeios como a praia de Itapuã, do Forte, do Flamengo, de Itaparica e também visitar o projeto Tamar. Dá pra passear de balsa, Ferry boat. Vale a pena.


Elevador Lacerda com Mercado Modelo ao fundo



Impressões da cidade
Pelourinho


Como eu disse no começo do texto, Salvador foi uma surpresa incrível para nós e, enquanto estávamos lá, eu estava ansiosa para escrever e compartilhar com vocês as impressões que tivemos da cidade. É um lugar lindo, com uma arquitetura maravilhosa. Ruelas que lembram muito o estilo europeu (algumas ruas me lembraram bastante Lisboa ou algumas partes de Zurique) e um povo muito receptivo. PORÉM, apesar das pessoas serem muito calorosas e sempre dispostas a te ajudar, fiquei com uma má impressão em relação ao medo que eles colocam nos turistas. 10 a cada 10 pessoas que conversei por lá me falaram para não andar sozinha, seja na praia, no transporte, no ponto de ônibus ou nos pontos turísticos. Isso me deixou bastante desconfortável e impediu que eu aproveitasse a cidade nos dias em que eu estava sozinha, mesmo que eu não tenha tido nenhum problema quando me arrisquei a andar desacompanhada (e eu andei bastante!).

Clima
Bom, todos nós sabemos como a região Nordeste tem um clima diferente da maior parte do país. Enquanto aqui em São Paulo, por exemplo, temos (normalmente) o verão bem chuvoso e um inverso seco, na Bahia a coisa é um pouco diferente. Nos meses de julho e agosto chove bastante lá, apesar de não esfriar o suficiente para nós que não somos de lá. Peguei bastaaaante chuva, o que atrapalhou o passeio também, mas também pegamos dias de sol que permitiram que fôssemos pra praia e aproveitássemos a cidade e as vistas incríveis.
Minha mãe foi pra lá em maio e pegou bastante sol, poucos dias de chuva e disse que durante todo o dia venta bastante, o que faz com que o calor não incomode enquanto se anda.

Praia de Catussaba

Praia de Catussaba



***

Bom, acho que, por enquanto, é isso. Temos muitas outras impressões e idéias sobre essa viagem para compartilhar com vocês, mas vai ficar para um outro post.
Vale dizer que adoramos conhecer mais um pedacinho do Brasil e que Salvador deixou uma imeeeeensa vontade de voltar. Com certeza vocês lerão mais sobre aqui no blog, já que prometemos que ainda tiraremos férias mais longas por lá para poder conhecer melhor ainda a cidade.
Espero que vocês tenham gostado.

Beijos.

Ananda e Amanda *

Nenhum comentário:

Postar um comentário